24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Mortalidade por hipertensão essencial em idosos no Ceará e sua relação com o nível de escolaridade

Resumo estruturado

Introdução
A hipertensão essencial, também classificada como primária, é aquela em que a etiologia é desconhecida, e constitui o principal tipo de hipertensão. Pode ser considerada um grave problema de saúde pública, pois leva a uma série de complicações em diversos órgãos e possui alta prevalência em nosso meio, especialmente entre a população idosa, levando a um impacto importante na mortalidade deste grupo etário. Assim, é essencial pesquisar fatores de risco, como a de nível de escolaridade, que possam ter associação com a quantidade alarmante de mortes entre pessoas com 60 anos ou mais, visto que tal associação ainda necessita de maiores evidências. Além disso, o trabalho visa ajudar na discussão e na abordagem deste problema, que, na maior parte das vezes, pode ser prevenido.
Resultados/discussão
Trata-se de um estudo ecológico analítico em que os dados coletados foram colhidos do Sistema de Informações de Saúde (TABNET) a partir da aba de estatísticas vitais na seção mortalidade geral. Foi selecionada a abrangência geográfica do estado do Ceará. Na opção linha foi pesquisada a variável de escolaridade, enquanto nas opções coluna e conteúdo, foram selecionados, respectivamente, faixa etária detalhada (60 a mais de 80 anos) e óbitos por residência. A amostra foi gerada para os anos de 2012 a 2016, e a seleção escolhida foi a categoria CID-10, mais especificamente hipertensão essencial. A análise dos dados foi feita utilizando o Microsoft Excel e o software Prism para elaboração de gráficos. Foram registrados um total de 7192 óbitos por hipertensão essencial em idosos no Ceará entre 2012 e 2016. Desses, 49% não apresentava escolaridade alguma, 26,8% apresentava 1 a 3 anos de escolaridade, 10% estudou por 4 a 7 anos, 3,2% possuía 8 a 11 anos de escolaridade e 0,5% estudou por 12 anos ou mais. 10,5% teve essa informação ignorada. Assim, nota-se que o grupo que não possuía escolaridade alguma representa quase a metade de todos os óbitos, enquanto a minoria possui um elevado nível de instrução.
Conclusões
Conclui-se que quanto menor o nível de escolaridade do idoso, mais ele está susceptível a ir a óbito por causa de hipertensão essencial. Dessa forma, percebe-se a necessidade de uma melhor atuação dos serviços de saúde, que devem procurar intensificar a prevenção desse problema, especialmente entre os idosos que apresentam pouca ou nenhuma escolaridade, visando a amenizá-lo.

Palavras-chave (de 3 a 5)

hipertensão, idosos, mortalidade, Ceará, escolaridade

Área

Clínico

Autores

Lya de Oliveira Coelho, Amanda Oliveira Silva, João Victor Muniz Vasconcelos, Artur Costa Cruz, Andreza Brandão Theophilo Lima, Debora Fontenele Alves, Eder Soares de Alencar, Matheus Xerex Carvalho Soares Barros Ciqueira