24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Síndrome Platipnéia-Ortodeoxia (SPO) – um relato de uma pseudoembolia pulmonar

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: A Síndrome Platipnéia-Ortodeoxia (SPO) é uma síndrome caracterizada por dispneia, que pode ser acompanhada de cianose, quando o paciente adota a posição ortostática, melhorando ao adotar a posição supina. É uma condição rara, descrita pela primeira vez em 1949 por Burchell et al. Ela se manifesta devido a um shunt interatrial direito-esquerdo, onde há passagem do sangue dessaturado do átrio direito (AD) para o esquerdo, geralmente por uma condição cardíaca responsável pelo shunt, como o forame oval patente (FOP), comunicação interatrial (CIA) e aneurisma de septo atrial. A fisiopatologia ainda não é bem esclarecida, a mais provável está relacionada à dilatação da aorta ascendente, em que o aumento do débito cardíaco eleva o retorno venoso causando aumento de pressão no AD, comprimindo o Septo Interatrial (SIA), gerando shunt direito-esquerdo, manifestando os sintomas. CASO CLÍNCO: CMVA, 75 anos, sexo feminino, parda, natural e procedente de Fortaleza-CE. Paciente internada no Hospital Regional da Unimed devido AVC isquêmico, evolui com dispneia súbita, saturando 60%, necessitando de suporte ventilatório invasivo. Descartada a hipótese de TEP, foi evidenciada que mesmo sob ventilação invasiva, a paciente evoluía com queda da saturação ao ser colocada na posição ortostática, melhorando com a posição supina. ECOTE constatou CIA multi-fenestrada com shunt esquerdo-direito, com inversão do mesmo durante a manobra de valsalva, visto pela técina de micro-bolhas. Realizada cirurgia para correção de CIA com 2 próteses por via percutânea, evoluindo a paciente com melhora significativa e recebendo alta. METODOLOGIA: dados do prontuário eletrônico do Hospital em questão. DISCUSSÃO: dispneia súbita pode ser um sintoma de um paciente com defeito congênito que permaneceu assintomático por anos. A paciente descrita apresentava platipneia ortodeoxia devido a CIA com shunt direito-esquerdo, durante manobra de valsalva, sem evidência de hipertensão pulmonar. O diagnóstico foi sugerido após excluída a hipótese de embolia pulmonar, primeiro diagnóstico pensado. CONCLUSÃO: A SPO, apesar de rara e peculiar, deve ser pensada como diagnóstico diferencial de dispneia súbita associada a hipoxemia para que o tratamento correto seja instituído e não haja um desfecho desfavorável para o paciente.

Palavras-chave (de 3 a 5)

Platipneia, Dispneia, Tromboembolismo pulmonar

Área

Clínico

Autores

Juliana Freitas Vasconcelos Sugette, Geovanna Rocha Alves, Luis Ricardo Sales Meneses Filho, Túlio Sugette Aguiar