24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Abscessos cerebrais infecciosos como complicação de endocardite infecciosa.

Resumo estruturado

Introdução: A endocardite infecciosa apresenta lesão típica, a vegetação, que consiste em uma massa de plaquetas, fibrinas e microcolônias de microrganismos, além de poucas células inflamatórias. As principais bactérias causadoras de endocardite bacteriana são estafilococos, estreptococos e o grupo HACEK. O quadro clínico envolve sintomas cardíacos e extra cardíacos. O presente trabalho aborda um caso de endocardite bacteriana, que evoluiu com sintomas neurológicos devido abscessos infecciosos cerebrais. Relato de caso: F.H.C., 50 anos, casado, católico, natural e procedente de Beberibe, comerciante, ensino fundamental incompleto, com história prévia de febre reumática aos 10 anos de idade, sem uso de profilaxia para cardite, apresentou quadro de parestesias e paresia em membro superior esquerdo, associado a cefaleia holocraniana, febre e lesões púrpuras em dedos de mãos e pés. Não houve crescimento bacteriano em hemoculturas colhidas. Realizou ressonância nuclear magnética de crânio que evidenciou múltiplas lesões nodulares com realce de predomínio periférico pelo meio do contraste, várias delas com provável componente hemorrágico e várias com restrição à difusão das moléculas de água. O ecocardiograma transtorácico flagrou fração de ejeção do ventrículo esquerdo de 61%, leve refluxo mitral, prolapso mitral com válvula exibindo degeneração mixomatosa, e imagens sugestivas de vegetação no folheto anterior. De acordo com os critérios de Duke modificados, o paciente apresentava um critério maior com envolvimento endocárdico flagrado no ecocardiograma, e apresentava três critérios menores (predisposição, febre e fenômenos vasculares), selando o diagnóstico. O paciente recebeu tratamento com antibioticoterapia prolongada, em uso de ceftriaxona, oxacilina e gentamicina. Conclusão: O paciente evoluiu com melhora do quadro clínico após instituição do tratamento. Alguns fatores que podem afetar adversamente o resultado incluem idade avançada, comorbidades, diabetes, diagnóstico atrasado, envolvimento de valvas protéticas ou a valva aórtica, patógenos invasivos ou resistentes a antibióticos, complicações intracardíacas e neurológicas maiores. O presente caso mostra a importância da suspeição do diagnóstico quando presentes manifestações extra cardíacas, visto que devido o acometimento neurológico, o diagnóstico tardio poderia ter evoluído com desfecho desfavorável.

Palavras-chave (de 3 a 5)

Endocardite. Valvas cardíacas. Ecocardiograma.

Área

Clínico

Autores

Maria Rafaelle Lourenço Fontenele, Mariana de Oliveira Gomes Santana, Bruna Custódio Rodrigues, Gabriela Melo Pereira