24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO NA INFÂNCIA ENTRE 2010-2017

Resumo estruturado

Introdução: As Doenças Cardiovasculares constituem uma importante causa de morte nos países desenvolvidos e também naqueles em desenvolvimento. Em geral, as manifestações têm início a partir da meia-idade. Sendo assim, o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) na infância é pouco frequente e pouco estudado, apesar do elevado índice de morbimortalidade decorrente dessa enfermidade. Sendo assim, o objetivo desse estudo é descrever as internações e óbitos por Infarto Agudo do Miocárdio em crianças entre 0-9 anos no Brasil e nas suas regiões geopolíticas de 2010 a 2017. Resultados e Discussão: No período estudado, foram registrados 820 internamentos por IAM em crianças entre 0-9 anos, que resultaram em 78 óbitos, de forma que, ao longo do período, ocorreu um aumento de 169,35% no número total de internações hospitalares no Brasil. A Região Sudeste registrou o maior número de internamentos no período (45,97%), e a Região Sul o menor (5,97%), sendo que a Região Sudeste também apresentou o maior percentual de óbitos das regiões brasileiras (43,59%). Isso pode ser explicado pelo contingente populacional, já que a Região Sudeste é a mais populosa das regiões brasileiras. Dos pacientes internados, aqueles com idade menor que 1 ano foram os mais acometidos (75,61%), seguidos por aqueles com Faixa Etária entre 1 e 4 anos (16,22%). Os menores que 1 ano também estão mais propensos a falecer devido a um IAM na infância, representando 84,61% do total de óbitos. Esses resultados podem ser correlacionados com a etiologia do IAM na infância, que está quase sempre associado a doenças congênitas e, portanto, as manifestações aparecem muito precocemente. Em contrapartida, a aterosclerose, um dos fatores de risco no adulto, é extremamente rara na população pediátrica. Os homens representaram 59,27% do total de internamentos e 60,25% dos óbitos registrados. Esse dado corrobora com a prevalência de internação e óbitos por Cardiopatia Congênita entre 0-9 anos, que é mais frequente no sexo masculino. CONCLUSÃO: Houve aumento do internamento devido ao Infarto Agudo do Miocárdio em crianças entre 0-9 anos em todas as regiões brasileiras. A Região Sudeste foi responsável pela maioria dos internamentos e óbitos. A faixa etária menor que 1 ano foi a mais acometida nas cinco regiões e em todos os anos do estudo, seguida pela Faixa Etária entre 1-4 anos. Os homens se apresentaram mais propensos a serem internados e também a falecer devido a um Infarto Agudo do Miocárdio na infância.

Palavras-chave (de 3 a 5)

Infarto do Miocárdio; Cardiopatias Congênitas; Mortalidade Infantil

Área

Clínico

Autores

Tâmara Caldas Orge, Renata Travassos Oliveira Meirelles, Luís Eduardo Assis Rizério, Jamille Carneiro Andrade