24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DESFECHO CLINICO DE PACIENTES COM INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO SUBMETIDOS A CINEANGIOCORONARIOGRAFIA

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: No Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) apresenta-se a interrupção ou diminuição súbita do fluxo sanguíneo por um tempo suficiente que cause a morte das células do músculo cardíaco, ou seja, a necrose (AEHLERT, 2013). O IAM é caracterizado pela morte tecidual cardíaca e pode ser diagnosticado através do eletrocardiograma e quando níveis sanguíneos de marcadores biológicos sensíveis e específicos como a troponina cardíaca e a creatinaquinase fração MB (CK MB) encontram-se elevados. Trata-se de um evento agudo que requer um cuidado especial por parte dos profissionais de saúde devido ao alto risco de óbito na primeira hora após o início dos sintomas (CASTRO, 2006). Refletir sobre o tema se faz importante para que possamos identificar fragilidades no manejo, bem como o tempo hábil e práticas intervencionistas que contribuam para reperfusão miocárdica e o êxito na terapêutica aos pacientes vítimas de IAM admitidos no laboratório de hemodinâmica em um Hospital de Referência Cardiológica no Interior da Zona Norte do Ceará. RESULTADOS/DISCUSSÃO: Durante o período de Janeiro a Dezembro do ano de 2017, obteve-se a partir dos dados coletados pelo serviço de gerencia de risco do Hospital do Coração de Sobral, os seguintes dados, subdivididos a seguir trimestralmente e obtidos pela variável simples entre o número de pacientes que evoluíram a óbito com diagnostico de IAM sobre o número total de atendimentos de indivíduos com o referido diagnostico, a fim de obter dados por porcentagem, evidenciando os seguintes resultados: no 1º trimestre do ano: 12,2% dos paciente admitidos na hemodinâmica evoluíram à óbito, seguidos no 2º trimestre com a elevação do padrão: 17,5%; no 3º trimestre observa-se a queda dos indicadores de óbito, com um total de: 9,8% e seguidos no 4º trimestre com discreta elevação da porcentagem para: 11,2%. Contudo cabe ressaltar o indicador absoluto do ano analisado, no qual, a soma total de pacientes atendidos com IAM foi de 257 indivíduos, destes 32 evoluíram com piora do quadro e posteriormente a óbito, contabilizando a parcela de 12,4% do total, taxa que segue com discreto aumento o padrão aproximado de 10% observado nos estudos internacionais de Anderson et al (2012) e Schiele et al (2005), quanto à taxa aceitável de óbito intra-hospitalar de pacientes com o diagnóstico citado. CONCLUSÃO:A partir dos dados analisados, foi possível observar que o atual padrão da taxa de mortalidade hospitalar por IAM da instituição em foco mantém a tendência internacional, a luz da literatura, porém ainda há muito à evoluir, a fim de minimizar os indicadores de óbito, pois o possível atraso no diagnóstico, deslocamento até a unidade e interpretação da clínica de IAM em municípios circunvizinhos, corroboram para o agravo do quadro e retardamento da assistência eficaz.

Palavras-chave (de 3 a 5)

INFARTO DO MIOCÁRDIO; HEMODINÂMICA; CATETERISMO CARDÍACO.

Área

Intervencionista

Autores

FRANCISCO ARIEL SANTOS DA COSTA, FABIENE LIMA PARENTE, FABIARA LIMA PARENTE, EDUARDO RODRIGUES MOTA, ALENEIDE CONSTANCIA RODRIGUES LIMA, PALOMA CUSTÓDIO FRANCELINO, Giovanna Randal Pompeu Silveira Veras, MARIA SINARA FARIAS, LAYANNY TELES LINHARES BEZERRA