24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

HEPATITE ISQUÊMICA EM PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA VALVAR COM DISFUNÇÃO DE PRÓTESE VALVAR: UM RELATO DE CASO

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: A hepatite isquêmica cardiogênica consiste num quadro clínico que surge dentro de 24 horas após o fenômeno que a desencadeou. Acomete 1,46% dos pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Possui uma taxa de mortalidade de 51 %. Caracteriza-se como um aumento súbito e rápido das enzimas transaminases. As alterações laboratoriais incluem, além do aumento sérico das transaminases, elevação da desidrogenase láctica (LDH) e da bilirrubina séricas e aumento do tempo de protrombina. RESULTADOS: A.F.B. gênero feminino, 40 anos, branca, procedente de Iguatu, foi admitida na unidade coronariana do Hospital do Coração do Cariri devido a quadro de dispneia intensa e mal-estar. Cerca de 06 horas antes, apresentou um quadro de dispneia intensa, sendo hospitalizada. Ao exame físico, foi observada a presença de edema em MMII (+2/4+); na ausculta cardiovascular, apresentou sopro sistólico em foco mitral (+2/6+). Após admissão, referiu náuseas e dispneia discreta. Apresentara um episódio isolado de crise epiléptica, que fora revertida com anti-epilépticos. A paciente é portadora de cardiopatia de etiologia reumática, para qual realizou substituição de valva mitral há 12 anos, em que foi implantada uma valva protética biológica. Nega uso de álcool e de drogas ilícitas. Na admissão atual, fora realizado um ecocardiograma trantorácico, que detectou uma miocardiopatia valvar com disfunção protética grave. Apresentou um quadro de insuficiência cardíaca congestiva, classe funcional IV, de NYHK, perfil B. Também manifestou encefalopatia hepática grau 2. A insuficiência respiratória agravou e foi necessária a instalação da ventilação mecânica invasiva. Cerca de 24 horas após admissão, apresentou icterícia (+3/4+), que progrediu intensamente. Os exames laboratoriais constataram uma lesão hepatocelular aguda, com elevação das transaminases, ALT (282 U/L); AST (633 U/L), fosfatase alcalina (100 U/L), Gama-GT (85 U/L), Sorologias negativas para as hepatites virais (A, B e C). Associada a esses achados havia anemia hemolítica, com desidrogenase láctica elevado (4.882 U/L). Hiperbilirrubinemia, bilirrubina total (32,06 ng/mL) e direta (18,33 ng/dL) elevadas. A contagem de reticulócitos elevada (4,5%), ferritina (592,73 ng/mL) e ferro sérico (143 ug/mL) aumentado, hemoglobina reduzida (7,8 mg/dL). A prova de função hepática revelou hipoalbuminemia (2,5 g/dL), Tempo de Protrombina alargado (16,40 segs.), INR (International Normalized Ratio) aumentado (1,52), atividade enzimática diminuída (45,50%) e plaquetopenia (88.000 l/mm3) associada. Foi hemotransfundida sem intercorrências. A ultrassonografia de abdome revelou alteração do parênquima hepática compatível com hepatite aguda associada com ascite moderada. Atualmente, encontra-se grave, em uso de drogas vasoativas. CONCLUSÃO: Trata-se de um relato de caso de paciente portadora de cardiopatia reumática que após 12 anos de troca valvar, evoluiu com disfunção protética grave e hepatite isquêmica.

Palavras-chave (de 3 a 5)

Heart Failure; Cardiogenic Shock; Ischemic Hepatiti; Acute Liver Failure;

Área

Clínico

Autores

RAILANE SOUSA ARRAIS DE MORAIS, Sâmia Israele Braz Do Nascimento, Erson Ramíres Alves Barbosa, José Mozart Ribeiro Neto, Herbert Lima Mendes, D'ávila Suyane Belém De Lima, Wendney Hudson de Alencar Fontes, José Victor Alexandre De Oliveira Nunes, Kevellyn Cruz Aguilera