24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Tratamento cirúrgico da persistência do canal arterial em adulto – Potencializando riscos de uma terapêutica simples na infância.

Resumo estruturado

Introdução – A persistência do canal arterial (PCA) é uma cardiopatia congênita acianogênica das mais frequentes que, na maioria das vezes, deve ser corrigida na fase pediátrica devido aos sintomas e riscos de hipertensão pulmonar, insuficiência cardíaca e endocardite. A cirurgia corretiva é rápida, não requer uso de circulação extracorpórea (CEC) e apresenta índices de complicações muito baixos. A cirurgia na fase adulta, no entanto, é cercada de peculiaridades e têm seu risco aumentado, necessitando de uma intervenção cirúrgica estrategicamente bem planejada. Caso Clínico - Paciente masculino, 41 anos, agricultor, apresentava dispneia de longa data aos esforços que cedia com repouso. Há 5 anos, iniciou quadro de edema de extremidades e dispneia paroxística noturna, sendo encaminhado ao serviço médico, onde foi diagnosticado com PCA grande. Há 6 meses, apresentava dispneia aos mínimos esforços, passando a atrapalhar suas atividades diárias e síncope, assim como cianose labial e sudorese, quadro este que o levou a internamento hospitalar. Estava em uso de Carvedilol, Espironolactona, Ambrisentana e Furosemida. Ao exame físico, apresentava B2 hiperfonética, sopro sisto-diastólico e FC de 56 BPM. Ao ecocardiograma, apresentava aumento importante do AE (48ml/m2) e câmaras direitas (VD basal = 61mm e VIAD 96ml/m2), regurgitação tricúspide moderada (PSAP=73mmHg), VE e VD de função sistólica normais e presença de PCA medindo 9mm com fluxo aorta-artéria pulmonar. Ao cateterismo, foi confirmado a presença da PCA e hipertensão arterial pulmonar moderada sem hiper-resistência arteriolar e responsiva ao NO. Foi, então, indicado tratamento cirúrgico. Cirurgia – A cirurgia foi realizada sob anestesia geral e esternotomia mediana. Instalada CEC em normotermia, sem clampeamento aórtico. Sob hipotensão controlada e confirmada a não calcificação do canal, a estrutura foi isolada e ligada duplamente com fio de algodão. A seguir, foi realizada arteriotomia pulmonar e fechada a entrada do canal com pericárdio bovino. Retirado o ar, fechada artéria, desmame gradual de CEC. Duração da CEC 40 minutos. Cirurgia 02 horas. O paciente foi extubado no POi, recebeu alta da UTI no PO2 e alta hospitalar no PO6. Discussão - O fechamento da PCA no adulto é uma cirurgia delicada devido às condições clínicas do paciente e aspectos morfológicos do canal. Hipertensão pulmonar grave, algumas vezes com aumentos irreversíveis de resistência vascular impossibilitando a cirurgia, dilatações de câmaras e calcificações ou aneurismas no canal tornam o procedimento de alto risco. Infelizmente, em nosso meio, ainda presenciamos adultos não diagnosticados com esta cardiopatia, expondo nossas deficiências de atenção e acesso à saúde. O paciente em questão, embora tratado tardiamente, não apresentava hiper-resistência pulmonar ou alterações complexas no canal apesar de seu grande diâmetro. A estratégia de abordagem escolhida permitiu a segurança de ligadura do canal com hipotensão controlad

Palavras-chave (de 3 a 5)

PCA, cirurgía cardíaca, cardiopatia congênita

Área

Cirúrgico

Autores

Gabriel Avelino de Araujo, Aloísio Sales Gondim, Acrísio Sales Valente