24° Congresso Cearense de Cardiologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Manifestações cardiovasculares após infecção por Chikungunya: Relato de Caso

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: A chikungunya é causada pelo vírus da Chikungunya e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Apesar da infecção humana ser considerada benigna, complicações graves podem acontecer, incluindo miocardite, meningoencefalite, insuficiência cardíaca, renal e hepática, com altas taxas de mortalidade. As formas graves acometem principalmente pacientes com comorbidades e idosos. O vírus é capaz de atingir células endoteliais, epiteliais, fibroblastos, dendritos, macrófagos, linfócitos e células musculares, apresentando-se de diversas formas. RELATO DE CASO: Paciente feminino, 82 anos, com AVC prévio há 5 anos, hipertensa e diabética iniciou dispneia aos mínimos esforços, dispneia paroxística noturna e rebaixamento do nível de consciência, 45 dias após diagnóstico de chikungunya. Na admissão, foram evidenciadas alterações das enzimas cardíacas (Pró-BNP: 12.416, CKMB: 10,26 Troponina T: 0,294), extrassístoles ventriculares isoladas ao eletrocardiograma e congestão pulmonar pela radiografia de tórax. Apresentava-se taquidispneica, sonolenta (Glasgow 11), edemaciada 2+/4+, crepitando em bases pulmonares, com bulhas cardíacas hipofonéticas, saturando 80% em ar ambiente e com pressão arterial de 140/100 mmHg. Evoluiu com crises convulsivas focais e piora do quadro neurológico (Glasgow 7), sendo submetida à intubação orotraqueal e ventilação mecânica. Foram iniciadas sedoanalgesia, drogas vasoativas e hemodiálise por piora da função renal, com diurese de 0,2ml/kg/h. Apresentou sorologias negativas para Hepatite B e C, Sífilis e HIV. A tomografia de crânio mostrou hipodensidade de substância branca periventricular, coroa radiada e centros semiovais, leucoaraiose e calcificações no sifão carotídeo e seios vertebrais. O ecocardiograma evidenciou fração de ejeção de 48%, aumento moderado do átrio esquerdo, hipocinesia da parede inferior, disfunção diastólica leve de ventrículo esquerdo e refluxo mitral moderado. Foi suspensa a sedoanalgesia e a paciente manteve o rebaixamento do nível de consciência. Evoluiu com insuficiência hepática e renal, indo a óbito após 39 dias da hospitalização. CONCLUSÃO: Não se conhece totalmente o mecanismo de envolvimento cardíaco na Chikungunya. O vírus pode invadir o miocárdio e danificar diretamente os cardiomiócitos ou causar hipersensibilidade ou uma reação autoimune. As características clínicas são inespecíficas, apresentando-se como tontura, desmaios, precordialgia e sudorese, podendo ser confundida com outras patologias. Os sinais podem ser mínimos e associados a arritmias ou pequenas alterações eletrocardiográficas. O diagnóstico de miocardite por chikungunya pode ser feito por ecocardiograma e pela ressonância magnética cardíaca, que permite identificar lesões inflamatórias agudas, subagudas e crônicas. Não se sabe a frequência de lesões miocárdicas neste cenário, sobretudo porque muitos casos de miocardite permanecem não diagnosticados.

Palavras-chave (de 3 a 5)

Manifestações cardiovasculares Chikungunya

Área

Clínico

Autores

MARCELA GONDIM AGUIAR, MELISSA CAROLINA DANTAS JOVENTINO, FABIA NAIAGY DE SOUSA LIMA, LAÍS GOMES NEVES, FILADELFO RODRIGUES FILHO, FREDERICO CARLOS DE SOUSA ARNAUD