30° Congresso Cearense de Oftalmologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relato de caso acerca da maior eficácia do betabloqueador seletivo em relação ao não seletivo em suspeita de glaucoma.

Objetivo

Relatar um caso de suspeita de glaucoma com dificuldade de conclusão diagnóstica.

Relato do Caso

E.C.C,43 anos,sexo feminino e com história familiar de glaucoma(mãe). Apresentava histórico de pressão intraocular(PIO) elevada em que foi prescrito o Travatan®, mas não suportou os efeitos colaterais(dor), suspendendo a droga há 3 meses. Realizou o teste de sobrecarga hídrica que evidenciou PIO mínima de 19mmHg e máxima de 22mmHg em ambos os olhos(AO).A paquimetria ultrassônica evidenciou no olho direito(OD) espessura central da córnea de 420 micras e no olho esquerdo(OE) de 497 micras. Paciente portadora de miopia em AO(4 dioptrias).A fundoscopia demonstrou fundus miópico e drusas em todo o disco óptico(DO),impossibilitando a quantificação da escavação do nervo óptico. Foi solicitada a tomografia de coerência óptica que evidenciou DO de tamanho médio com escavação vertical impossível de ser aferida e analisou a camada de fibras nervosas peripapilar(OD dentro da normalidade e OE limítrofe para idade no quadrante superior e inferior).Diante da alteração no CV(não compatível com drusas, mas sim com glaucoma em estágio inicial) e PIO elevada, foi prescrito Glaucotrat®(maleato de timolol 0.5%) de 12/12h em AO. Após 40 dias, a PIO encontrava-se em 17mmHg OD e 22mmHg OE. A paciente informou já ter feito uso do Betoptic®(betaxolol 0.5%) com boa resposta, então optou-se por trocar o Glaucotrat® pelo Betoptic®(12/12h AO).Após 2 meses, a PIO encontrava-se 14mmHg em AO.

Conclusão

Na literatura, a classe farmacológica mais utilizada para o tratamento de hipertensão ocular e glaucoma são os betabloqueadores não seletivos(Timolol).No caso descrito, esta droga não obteve êxito terapêutico,no entanto,quando substituído pelo betabloqueador seletivo(Betaxolol), a PIO reduziu notavelmente(36%), contrariando estudos, em que o Timolol é considerado mais potente do que o Betaxolol na redução da PIO. O relato levanta o questionamento acerca da eficácia do Timolol em relação ao Betaxolol, já que os dois são da mesma classe. Importante destacar também a dificuldade no diagnóstico de glaucoma devido às drusas.

Área

Oftalmologia

Autores

LETICIA CHAVES MACEDO, ANA LAURA ELOIA LIMÃO, MARIANA ALVES DE SOUZA VASCONCELOS