30° Congresso Cearense de Oftalmologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RETALHO MUSCULOCUTÂNEO DE PEITORAL MAIOR NA RECONSTRUÇÃO DE DEFEITO PERIOBITÁRIO EM PACIENTE COM AMAUROSE CONTRALATERAL

Objetivo

Relatar a utilização de retalho musculocutâneo de peitoral maior na reconstrução de defeito periorbitário, como o carcinoma epidermóide, posto que esse tipo de lesão acomete a pálpebra inferior e pode chegar até a pálpebra superior e a base do crânio, prejudicando parcial ou completamente a visão do paciente. Avaliar a relação dos grandes defeitos do terço médio da face com a utilização de retalhos microcirúrgicos, visto que os tratamentos alvitrados dependem de fatores associados entre os aspectos clínicos e anátomo-patológicos, sendo a cirurgia a modalidade mais utilizada, em conjunto com a quimioterapia e a radioterapia.

Relato do Caso

Paciente do sexo masculino, 72 anos, branco, acompanhado pelo Instituto do Câncer do Ceará por lesão em terço médio da face. Apresentava como doenças associadas, amaurose unilateral do olho direito, diabetes mellitus insulino-dependente, cardiopatia grave com duas angioplastias prévias, ex-tabagista, ex-etilista e insuficiência vascular periférica. Ao exame físico apresentava lesão de 7x8cm, ulcerovegetante, em terço médio da face esquerda, desde rebordo orbitário até sulco nasogeniano, com linfonodos cervicais palpáveis a esquerda (estadiamento T4N2M0, EC IV), afetando a visão ocular esquerda. A ressecção cirúrgica da lesão foi realizada em 10/06/2005, evidenciando carcinoma espinocelular, com margens livres. A reconstrução foi realizada em 17/06/2005 com RMPM. O paciente apresentou boa evolução e realizou radioterapia adjuvante, evoluindo com ectrópio (tratado com cantopexia e retalho de Fricke). Atualmente, encontra-se sem sinais de recidiva, com sequela aceitável na área doadora do retalho e visão preservada no único olho, com boa oclusão palpebral.

Conclusão

No presente caso a reconstrução da região periorbital apresentava como dificuldade adicional a necessidade de manter a função do complexo órbito-palpebral o mais próximo da normalidade devido à amaurose contralateral. O RMPM se mostrou uma excelente alternativa ao retalho microcirúrgico na reconstrução do terço médio da face no paciente relatado.

Área

Oftalmologia

Autores

ESTER SARAIVA CARVALHO FEITOSA, MARCUS VINICIUS SANTIAGO BARRETO SANTOS, MARCUS VINICIUS PONTE de SOUZA FILHO