30° Congresso Cearense de Oftalmologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Vasculopatia polipoidal de coróide: achados diagnósticos na ausência de angiografia com indocianina verde

Objetivo

A vasculopatia polipoidal da coróide (VPC) consiste em ramificações e dilatações aneurismáticas dos vasos da coróide interna denominadas pólipos. Manifesta-se com descolamentos serossanguinolentos do epitélio pigmentar da retina e alterações exsudativas. Embora o diagnóstico padrão-ouro seja feito com angiografia com indocianina verde, na sua indisponibilidade, pode ser feito com auxílio da retinografia, tomografia de coerência óptica (OCT) e angiofluoresceinografia (AF). O presente relato tem o objetivo de apresentar um caso de VPC cujo diagnóstico se baseou nos achados da retinografia, OCT e AF.

Relato do Caso

C.L.V.T.M., sexo masculino, 66 anos, pardo, procedente de Fortaleza-CE, atendido no Hospital de Olhos Leiria de Andrade, com queixa de metamorfopsia e micropsia em olho direito (OD) há 2 meses. Portador de hipertensão arterial sistêmica, sem histórico de cirurgias oftalmológicas. Ao exame: acuidade visual com correção – olho direito 20/30, olho esquerdo 20/25; biomicroscopia – sem alterações; fundoscopia – alteração do brilho macular e presença de exsudatos duros em feixe papilo-macular em OD. OCT OD evidenciou membrana neovascular subretiniana. AF revelou lesões hiperfluorescentes no feixe papilo-macular superior e área de bloqueio por hemorragia subretiniana.

Conclusão

É possível realizar diagnóstico de VPC através da retinografia, OCT e AF. Estudos recentes revelam boa sensibilidade destes exames na diferenciação com outras maculopatias serosas.

Área

Oftalmologia

Autores

PRISCILA BRASIL SAMPAIO DE LUCENA, Lara Gonçalves Fernandes, Leiria de Andrade Neto