IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

USO DE DOPING TRAZENDO MAIOR RENDIMENTO AOS ATLETAS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Atualmente, o rendimento em atletas vem de encontro a agentes que visam aumentar a atividade orgânica, física, psicológicos e química. De forma geral, muitos desses hormônios são produzidos pelo nosso corpo, no entanto em quantidades pequenas, não sendo suficiente para resultados satisfatórios. Esses agentes trazem efeitos sobre o sistema nervoso central, com o intuito de promover o aumento da resistência aeróbica, aumento de energia, aumento da frequência cardíaca e frequência respiratória, desenvolvimento da massa muscular, aumento da síntese de proteínas, diminuição da gordura corporal e consequentemente a levar vantagens aos atletas durante as competições. De forma geral, muitos desses hormônios são produzidos pelo nosso corpo, no entanto em quantidades pequenas, não sendo suficiente para resultados satisfatórios, fazendo-se necessário, altas dosagens dessas substâncias, sendo elas testosterona, hormônio do crescimento, gonadotropina coriônica, Insulina, entre outras. A maioria dessas substâncias utilizadas por estes atletas não possui comprovações cientificas, haja vista que, não possuem estudos que comprovam sua eficácia, portanto seus efeitos contrários podem desenvolver consequências reversíveis e irreversíveis na vida. Objetivos: Comprovar através de uma revisão sistemática os efeitos do uso de estimulantes e outros agentes, com ênfase em seus objetivos, benefícios e malefícios no trabalho desportivo. Metodologia: Foram analisados os estudos publicados originalmente na língua Inglesa, entre janeiro de 2017 a junho de 2019, tendo como referência as bases de Dados da Biblioteca virtual de saúde. Os critérios incluídos foram: atletas em alto rendimento que buscam o uso do doping buscando a melhoria da eficiência. E os critérios de exclusão foram: usuários que não são atletas. Resultados: Estudos afirmam que, os tipos mais comuns de substâncias encontradas nos exames antidoping são os agentes esteroides anabolizantes e estimulantes. Os anabólicos ingeridos ou injetáveis por esses atletas são responsáveis por alterações que os colocam em vantagens em relação a outros competidores, sendo elas esteroides ou estimulantes, bem como, os esteroides anabolizantes tem vários efeitos adversos, como o rompimento de tendões, devido ao aumento da força e massa muscular, danos as articulações e estruturas ósseas, pelo esforço físico acompanhado da suplementação. Alguns efeitos podem ser irreversíveis trazendo muitas consequências para seus consumidores, como os efeitos comportamentais, depressão, dependência da substancia, comportamento agressivo, e no sistema hepático tumores. Conclusão: Portanto, o uso de doping é considerado antiético e pode acarretar diversos problemas de saúde física e psíquica que venha banir o atleta de seu esporte. Percebe-se que mesmo atualmente há utilização de esteroides e estimulantes objetivando vantagem. Contudo os efeitos adversos aparentam ser mais significativos, deste o âmbito biológico até o profissional.

Palavras-chave (máximo 3)

atletas; eficiência; Doping nos Esportes;

Área

Prevenção

Autores

Lorrana Stefane Dias Lima, Patricia dos Santos Alves, Bárbara Celia de Araújo Ribeiro, Rafael Yank Feitosa Monteiro, Paulo Andre Bezerra da Costa , Roberto Carlos Farias Machado Junior