IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Influência do calçado esportivo no controle postural e atividade eletromiográfica de atletas com instabilidade crônica de tornozelo.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Pouco se sabe sobre a influência do uso do calçado esportivo (tênis) no resultado da avaliação do controle postural e da atividade eletromiográfica de atletas com instabilidade crônica de tornozelo (ICT). Objetivo: Estabelecer a influência do calçado esportivo nas respostas do controle postural e atividade eletromiográfica dos músculos glúteo médio e máximo, gastrocnêmio lateral e medial, fibular longo e tibial anterior, em atletas com ICT. Métodos: Este é um estudo transversal, aprovado pelo Comitê de Ética (Parecer nº 2.771.026), com amostra composta por 16 atletas com ICT (11 homens e 5 mulheres), que apresentavam relato de episódios e instabilidade frequentes e pontuação inferior a 24 pontos no questionário Cumberland Ankle Instability Tool (CAIT). Inicialmente os atletas responderam aos questionários e foram fixados os eletrodos para análise eletromiográfica nos músculos glúteo médio e máximo, gastrocnêmio lateral e medial, fibular longo e tibial anterior, segundo SENIAN. Na sequência, os atletas posicionaram o membro inferior com ICT sobre a plataforma de força, e realizaram o movimento de agachamento afundo, com três repetições descalços e três repetições com tênis, previamente aleatorizadas. Ainda, o ritmo do exercício foi controlado por um metrônomo e foi respeitado um minuto de descanso entre as séries. Os dados foram analisados no SPSS 20.0. Foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk para verificar a normalidade dos dados, o teste T para a comparação dos parâmetros de controle postural, Wilcoxon para a análise dos dados eletromiográficos e Kruskal Wallis para comparação entre os músculos, com significância estatística estabelecida em 5%. Resultados: Os 16 atletas avaliados estabeleceram idade média de 20,6 anos; peso de 83,5 kgs; altura de 1,76 metros e participavam das modalidades futsal, voleibol, handebol, basquete, rugby e judô. O questionário CAIT apontou escore médio de 16,2 pontos. Os resultados do controle postural entre as avaliações com ou sem tênis, respectivamente, para a área de elipse do centro de pressão foi 33,8 e 34,49 cm2, (p = 0,81); amplitude ântero-poterior 11,69 e 12,03 cm, (p=0,38) e médio-lateral 4,86 e 4,58 cm (p=0,39) e velocidade médio-lateral 5,23 e 5,07 cm/s (p=0,26). Houve diferença para a velocidade ântero-poterior 10,01 e 11,23 cm/s (p=0,001), com maiores valores para a avaliação sem calçado esportivo. Os resultados da atividade eletromiográfica não apresentaram diferenças entre as avaliações para os músculos avaliados. Conclusão: Atletas com ICT apresentam maior velocidade de oscilação postural no sentido ântero-posterior ao realizar a atividade sem calçado esportivo, o que pode sugerir um pior controle postural descalço. Sem alteração na atividade muscular. Portanto, parece não haver importantes repercussões práticas avaliar o controle postural e atividade eletromigráfica de atletas com ICT com ou sem o calçado esportivo.

Palavras-chave (máximo 3)

tornozelo, controle postural, eletromiografia.

Área

Biomecânica

Autores

Fernanda Nair Nicolau Policarpo, Barbara Pasqualino Fachin, Karoline Tiemy Ogasawara, Laryssa Oliveira da Silva, Christiane de Sousa Guerino Macedo, Mariana Petrin Schuster