IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de Lesões Musculoesqueléticas Prévias e Especialização Esportiva entre Atletas de Basquetebol Infanto-juvenis Competitivos

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O basquetebol é um dos esportes de quadra mais populares do mundo e sua prática apresenta diversos benefícios a saúde física e psicossocial da criança e do adolescente. Apesar disso, quando exposto, o atleta se torna suscetível a sofrer lesões musculoesqueléticas, as quais podem repercutir negativamente a nível físico, psicossocial e econômico. Nesse sentido, o basquetebol possui uma das maiores taxas de lesão entre os esportes de equipe e, diante desse panorama, a prevenção de lesões se configura como uma temática de extrema importância para os profissionais de saúde que atuam com a modalidade. Antes de elaborar e propor intervenções preventivas junto aos atletas, é necessário estabelecer a extensão dos problemas relacionados a lesão. Para isso, o primeiro passo é conduzir uma pesquisa junto a população alvo para o entendimento das lesões em termos epidemiológicos e de severidade. Objetivos: Descrever a prevalência de lesões musculoesqueléticas prévias e a especialização esportiva entre atletas infanto-juvenis competitivos de basquetebol. Material e método: Estudo transversal conduzido com atletas de ambos os sexos, filiados à Federação Paulista de Basketball e pertencentes a equipes infanto-juvenis do estado de São Paulo. No início da temporada de 2018, após a apresentação do projeto aos clubes, todos os atletas foram convidados a participar do estudo. Foi aplicado um questionário junto aos atletas com perguntas referentes a características pessoais e de treinamento e histórico de lesões musculoesqueléticas prévias nos últimos três meses. Resultados: No total, 534 atletas (sexo masculino, n=474; sexo feminino, n=60) responderam ao questionário. A média de idade entre os atletas foi de 12,28 ± 1,7 anos. 77,5% (n= 414) deles eram especialistas no basquetebol, enquanto 22,5% (n=120) também praticavam outras modalidades esportivas. A prevalência de lesões musculoesqueléticas entre os atletas foi de 23,2%, com um total de 158 lesões sofridas por 124 atletas. Os tipos de lesões mais comuns foram entorses (29%; n=42) e fraturas (12%; n=19). As regiões corporais mais comumente acometidas por lesões foram os tornozelos (30,4%, n=48) e os joelhos (21,5%; n=34) e os diagnósticos mais comuns foram o entorse de tornozelo (25,3%; n=40) e a tendinopatia de joelho (7%; n=11). Discussão: A prevalência de lesões musculoesqueléticas prévias entre os atletas de basquetebol infanto-juvenis brasileiros se mostra elevada, corroborando dados prévios da literatura. Adicionalmente, foi possível observar que, apesar da baixa média de idade entre os atletas estudados, a grande maioria deles já apresentava uma especialização esportiva precoce, a qual é um fator de risco para o desenvolvimento de lesões. Conclusão: Atletas de basquetebol infanto-juvenil competitivo apresentam uma alta prevalência de lesões musculoesqueléticas prévias e a especialização esportiva ocorre de forma precoce entre eles.

Palavras-chave (máximo 3)

Traumatismos em Atletas

Área

Epidemiologia

Autores

Luiz Augusto Borges Gomes, Ronaldo Alves da Cunha, Felipe Cruvinel, Carlos Vicente Andreoli