IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O protocolo de exercício isométrico é superior ao protocolo de exercício excêntrico para redução da dor em participantes com tendinopatia patelar: uma análise de sobrevida

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Diversos estudos clínicos vêm sendo realizados para verificar a melhor forma de manejo da dor em sujeitos com tendinopatia patelar. Objetivo: Avaliar a eficácia do exercício isométrico em comparação com o exercício excêntrico no tratamento da dor em pacientes com tendinopatia patelar. Métodos: Foi conduzido um ensaio clínico aleatorizado, onde foram avaliados e tratados vinte e um casos de tendinopatia patelar. Treze indivíduos foram alocados no grupo de exercícios isométricos e oito no grupo de exercícios excêntricos. A dor foi avaliada durante doze atendimentos através da escala numérica da dor. O participante relatava sua dor após realizar dez agachamentos unipodais. A análise estatística foi feita pela curva de sobrevida utilizando Regressão de Cox Univariada e o Hazard Ratio (HR). Nós realizamos análise em dois eventos distintos. A primeira, considerando como evento a ocorrência de 30% a 45% de redução da dor, sendo que a redução mínima deveria ter o alcance de dois pontos na escala numérica da dor. O segundo evento foi considerado como a ocorrência da redução da dor entre 50% a 70%. Dados não relacionados aos eventos foram censurados. Foram considerados 5% de significância. Resultados: A diferença média entre os grupos foi de 2,5 sessões (0,8 a 7,9 95%IC; p=0,05) para a ocorrência do evento redução da dor de 30% a 45%, sendo que os participantes submetidos ao protocolo de exercícios isométricos alcançaram o evento com três sessões. Para o evento redução da dor de 50% a 70%, a diferença média foi de 5,0 sessões (1,1 a 2,3 95%IC; p=0,01), sendo que os participantes submetidos ao protocolo de exercícios isométricos alcançaram o evento com 3,7 atendimentos; enquanto foram necessários 9,3 atendimentos no grupo execêntrico. Na primeira sessão, 40% dos participantes do grupo isométrico tiveram redução da dor entre 30% a 45%; enquanto apenas 17% do grupo excêntrico alcançaram o evento em uma sessão. Na décima segunda sessão, 93% dos participantes do grupo isométrico reduziram de 30% a 45% da dor em comparação com 67% do grupo excêntrico. Na primeira sessão, 40% dos participantes do grupo isométrico reduziram de 50% a 70% da dor em comparação com 0% do grupo excêntrico. Na décima segunda sessão, 93% dos participantes do grupo isométrico reduziram de 50% a 70% da dor em comparação com 34% do grupo excêntrico. O protocolo isométrico apresenta 2,5 vezes mais chances para atingir o desfecho redução da dor entre 30-45% (HR 2,52, 95%IC 0,8-7,9, p=0,11) e para atingir o desfecho redução entre 50–70% da dor a chance é quase 5 vezes maior utilizando a contração isométrica do que a excêntrica (HR 4,98, 95%IC 1,1-22,0, p=0,03) Conclusão: O exercício isométrico é superior ao exercício excêntrico na redução da dor em indivíduos com tendinopatia patelar.

Palavras-chave (máximo 3)

Tendinopatia; Ligamento Patelar; Exercício

Área

Tratamento

Autores

MARIA LARISSA AZEVEDO TAVARES LARISSA TAVARES, Yanka Aparecida Bandeira Murakawa Aparecida Murakawa, Yuri Rafael dos Santos Franco Rafael Franco, Marcio Almeida Bezerra Almeida Bezerra, Katherinne Ferro Moura Franco Ferro Franco, Rodrigo Ribeiro de Oliveira Ribeiro Oliveira