IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Uso de inclinômetro digital para teste de reposicionamento articular ativo no ombro de arremessadores.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A avaliação do senso de posição articular (SPA) é importante para verificar a propriocepção do ombro. No entanto, métodos acessíveis, confiáveis e de baixo custo para avaliação do SPA ainda são limitados. Um teste de reposicionamento articular ativo com uso de inclinômetro foi validado previamente para o movimento de flexão do ombro. No entanto, os movimentos de abdução (AB), rotação lateral (RL) e rotação medial (RM) de ombro são os mais usados no gesto esportivo do arremesso. Objetivo: Analisar a confiabilidade da avaliação do reposicionamento ativo do SPA com inclinômetro para os movimentos de AB, RL e RM do ombro em atletas. Método: Participaram dez atletas de uma equipe feminina de handebol, com idade entre18 e 23 anos, que não apresentam sintomas na região de ombro. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria, CAAE: 08527017.0.0000.5346. A avaliação do SPA foi realizada por meio dos testes de reposicionamento articular ativo, utilizando um inclinômetro digital (Acummar) fixado por uma braçadeira no braço da atleta (AB) ou punho (RL e RM). Durante os testes, a atleta estava sentada, com os olhos vendados e usava fone de ouvido (ruído branco). Os movimentos avaliados foram de AB no plano escapular (55º, 90º e 125º), RL (40º, 60º e 80º) e RM (60º e 80º) a 90º de abdução. Considerando que a posição pode variar do momento que o avaliador diz o comando para parar até o voluntário executar o comando, uma variação do ângulo-alvo de ± 5º foi aceita. Em cada ângulo alvo, foi mantido 5 segundos para memorizar, o atleta retornava a posição inicial, mantinha por 5 segundos e reposicionava no ângulo memorizado, onde era solicitado que indicasse verbalmente “aqui” quando estivesse no ângulo que julgasse ser o ângulo-alvo. Cada teste foi repetido três vezes, com intervalo de 1 min para cada ângulo. O intervalo entre as sessões de teste-reteste foi de três dias. Foram calculados os coeficientes de correlação intraclasse (ICC) para a variável erro constante de reposicionamento (valor de desvio do alvo) no teste e reteste. Resultados: Os erros constantes de reposicionamento tiveram resultados do ICC excelente para AB 125º (ICC= 0.94) e RL 80º (ICC= 0.81); muito bom para a AB 55º (ICC= 0.69), AB 90º (ICC= 0.79) e RL 60º (ICC= 0.7); bom para RM 40º (ICC = 0,57); e por fim com ICC fracos para RL 40º (ICC= 0,19) e RM 60º (ICC= 0,18). Conclusão: Os testes de reposicionamento articular ativos usando um inclinômetro digital obtiveram confiabilidade excelente e muito boa para os movimentos de AB e RL, e boa a ruim para RM. A partir desses resultados, os testes que obtiveram ICC excelente e muito bom são considerados aptos para serem utilizados para avaliar propriocepção do ombro em equipes de atletas.

Palavras-chave (máximo 3)

propriocepção, ombro, confiabilidade

Área

Biomecânica

Autores

Lilian Pinto Teixeira , Rafaela Oliveira Machado, Gisele Garcia Zanca, Michele Forgiarini Saccol