IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação das lesões musculoesqueléticas em corredores de rua recreacionais e tênis de corrida

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A corrida de rua tem se destacado, devido à grande procura por um hábito de vida mais saudável, pela modalidade ser de fácil execução e de baixo custo. É uma atividade que gera grande impacto com o solo, portanto, com o crescente número de praticantes houve também um aumento de lesões musculoesqueléticas. Essas lesões podem ser oriundas de aspectos multifatoriais, como por exemplo: um grande volume de treino, intensidade desse treino, a frequência, distância percorrida, diferentes superfícies de contato (asfalto, terra, cimento, grama, cascalho, esteira), o calçado e lesões prévias. Objetivo: O objetivo do estudo é verificar a associação dos tênis para corridas e as taxas de lesões musculoesqueléticas em corredores recreacionais de corridas de rua, além de avaliar a influência do calçado e das características de treinamento com a presença de lesões musculoesqueléticas. Metodologia: A pesquisa foi autorizada pelo Comitê de Ética da Universidade da Amazônia, aprovado em 17/11/2015, CAAE: 50651415.7.0000.5173. Trata-se de um estudo observacional transversal retrospectivo onde foram avaliados 108 corredores de rua recreacionais, com faixa etária entre 18 anos a 61 anos, que participam de competições de corrida de no mínimo 5km e que apresentam ou já apresentaram lesões musculoesqueléticas, sem ter passado por cirurgias nos últimos 12 meses. Os participantes voluntários da pesquisa, responderam a um questionário contendo 35 informações, dividido em 4 categorias: dados pessoais do participante, características de treinamento, informações sobre o tênis e histórico de lesões. Foi feita uma análise descritiva das variáveis analisadas, além da comparação entre os resultados obtidos entre os grupos através do Teste de Wilcoxon com um α de 0,05. Resultados: Foram avaliados 58 mulheres e 50 homens. De acordo com os resultados, o número de lesionados foi significativo, com 44%, e destes, 30 pessoas adquiriram pelo menos uma lesão, em maior proporção na região do joelho (18%), a maioria dessas lesões foi durante o treinamento (29%), a característica principal no tênis é o amortecimento (52%). Quanto ao tipo de pisada, muitos não sabem relatar (43%) e a pisada mais prevalente encontrou-se a pronada (22%). Conclusão: A amostra deste estudo, apresentou 44% de lesões musculoesqueticas nos últimos 12 meses, sendo a região do joelho a mais acometida (18%) e as lesões mais incidentes encontradas foram: tendinopatia (5%), estiramento (5%) e lesão ligamentar (4%), porém 17% dos entrevistados não souberam relatar o diagnóstico da sua lesão. Quanto à distância, foi encontrado que existe grande associação das taxas de lesões com treinamentos superiores a 32 km e como medida preventiva é sugerido que os corredores recreacionais esta quilometragem em suas sessões de treinamento por semana.

Palavras-chave (máximo 3)

Corrida; Sapatos; Traumatismos em Atletas

Área

Epidemiologia

Autores

Rafael Nascimento Sousa, Sara Queiroz Pereira, Thais Gouvêa, Raphael Lobão Pereira