IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A avaliação pré-temporada estabelece importantes valores preditivos de lesão em atletas de futebol masculino sub15 e sub17

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A avaliação pré-temporada é importante para investigar fatores de riscos biomecânicos relacionados a lesões no futebol. Entretanto, a avaliação pré-temporada de atletas de base (categorias sub15 e sub17) não é frequentemente relatada na literatura. Objetivos: Apresentar resultados da avaliação pré-temporada de atletas de base, fatores preditivos de lesão musculoesquelética e diferenças entre as categorias sub15 e sub17. Métodos: Pesquisa aprovada pelo comitê de ética. Foram avaliados 61 atletas da base de futebol, das categorias sub15 (n=28) e sub17 (n=33). Todos foram submetidos a testes de flexibilidade da cadeia posterior (banco de Wells), amplitude de dorsiflexão (lunge test), encurtamento dos rotadores laterais do quadril, resistência muscular dos extensores de quadril (single leg bridge test), saltos (single hop test, cross over test e figura em 8), resistência dos músculos do tronco (prone bridge test) e equilíbrio (Y test). Os resultados foram analisados pelo SPSS 22.0, com testes de Shapiro Wilk e t de Student para amostra independentes, com significância de 5% para a comparação entre as categorias. Resultados: Todos os atletas treinavam 6 dias por semana, 3 horas por dia e apresentaram respectivamente (sub-15 e sub-17) os resultados para o banco de Wells: 28,43 e 29,78 (p=0,24); lunge test no membro inferior direito (MID): 41,29 e 41,76 (p=0,37); lunge test no membro inferior esquerdo (MIE): 37,71 e 38,97 (p=0,19) e assimetria encontrada em 16 atletas; encurtamento dos rotadores laterais do quadril no MID: 33,25 e 31,06 (p=0,24) e 34 atletas com amplitude de movimento relacionada a lesões; encurtamento dos rotadores laterais do quadril no MIE: 32,46 e 34,73 (p=0,19) e 22 atletas com amplitude de movimento relacionada a lesões; no single leg bridge test no MID: 46,32 e 45,18 (p=0,01) e no MIE: 46,10 e 43,78 (p=0,02); para o PBT: 133,71 e 130,73 (p=0,40); no single hop test no MID: 1,77 e 1,93 (p<0,01) e no MIE: 1,81 e 1,91 (p=0,01) e valores preditivos de lesão em 6 atletas; para o cross over test no MID: 5,25 e 5,89 (p<0,01 ) e MIE: 5,37 e 5,94 (p<0,01) valores preditivos de lesão em 6 atletas; no teste F8 no MID: 8,24 e 8,05 (p=0,12) e no MIE: 8,22 e 8,02 (p=0,09) valores preditivos de lesão em 2 atletas; no Y test realizado na direção anterior no MID: 70,15 e 68,16 (p=0,08) e no MIE: 70,47 e 69,18 (p=0,21) e valores preditivos de lesão em 3 atletas; e para o Y teste normalizado no MID: 91,48 e 88,80 (p=0,07) e no MIE: 92,73 e 89,58 (p=0,03) valores com probabilidade de lesão em somente 1 atletas. Conclusão: A avaliação pré-temporada de atletas da base apontou assimetrias no Lunge test, nos movimentos do quadril e em testes funcionais que são apontados como fatores preditivos de lesões para as articulações do tornozelo, joelho e lesões musculares, e devem ser considerados em futuros tratamentos preventivos e propostas de treinamentos adequados a esta faixa etária.

Palavras-chave (máximo 3)

futebol, avaliação, fisioterapia.

Área

Prevenção

Autores

Amanda Maximo Alvares, Fernanda Nair Nicolau Policarpo, Vanessa Batista da Costa Santos, Jonas de Oliveira Pires, Christiane de Souza Guerino Macedo