IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Fatores associados a lesões em corredores de rua: um estudo transversal

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Atualmente a corrida de rua é uma das modalidades mais praticadas no mundo, contando com mais de 30 milhões de adeptos. Apesar dos benefícios gerados pela corrida, a popularização desta prática tem levado ao aumento no número de lesões, principalmente em membros inferiores. Desta forma, faz-se necessário, investigar os principais fatores associados a lesões em corredores para uma traçar melhores estratégias de prevenção de lesões. Objetivo: observar os fatores intrínsecos e extrínsecos associados a lesões em corredores de rua. Métodos: Foi realizado um estudo transversal, com abordagem quantitativa, na cidade de Natal-RN, em que participaram 141 corredores, avaliados por um questionário elaborado pelos pesquisadores, contendo informações como características do treinamento e competição como categoria do corredor, tempo de prática de corrida, frequência de treino, distância média semanal percorrida durante as sessões de treino, tipo de piso do local de treino, prática de outros esportes, distância média percorrida nas provas; e características dos calçados como tipo de material e grau de conforto, além da análise do tipo de pisada avaliada por a baropodometria. A análise estatística foi realizada pelo SPSS, versão 22.0 e usado o teste de Regressão Múltipla de Poisson para testar as associações entre as variáveis, Foi adotado α≤5%. Resultados: Os resultados mostraram que a maioria dos participantes era do sexo masculino, amadores, com tempo de prática de 2 a 3 anos, com frequência de treino de quatro vezes por semana e que disputavam provas acima de 10 quilômetros. A prevalência de lesões musculoesqueléticas foi de 34,8%, em que corredores profissionais tiveram maior representatividade, correspondendo a 78,6% das lesões(RP: 1,92; IC95%: 1,18 - 3,10; p= 0,008). Aqueles que apresentaram calçados desconfortáveis também apresentaram maior prevalência de lesões(RP: 2,23; IC95%: 1,03 – 5,20; p= 0,037). Já o tipo de pisada, local de treino e tempo de prática não apresentaram nenhuma associação com a prevalência de lesões. Conclusão: Pode-se concluir que corredores do sexo masculino, profissionais, com grande volume de treino e que utilizam calçados desconfortáveis estão mais expostos as lesões musculoesqueléticas e os calçados minimalistas parecem não ter influência nesses casos.

Palavras-chave (máximo 3)

Corrida. Traumatismos em Atletas. Epidemiologia. Risco.

Área

Epidemiologia

Autores

Sanderson José Costa Assis, Jeovani Almeida Nascimento, Ivanna Raline Félix Araújo, Jonilson Carvalho de Oliveira Júnior, Clécio Gabriel Souza, Rafael Gomes Santos