V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTADO NUTRICIONAL E RISCO CARDIOVASCULAR EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS A PARTIR DE DADOS ANTROPOMETRICOS

Resumo estruturado

A Terapia Antirretroviral Altamente Ativa (HAART) influenciou positivamente na vida das pessoas vivendo com HIV (PVHA), em função da redução do número de comprimidos ingeridos, além de potencializar o tratamento e reduzir as taxas de morbimortalidade. Apesar dos benefícios, o tratamento é acompanhado de alguns efeitos adversos que podem influenciar o estado nutricional do indivíduo, tais como vômitos, diarreias, lipodistrofia e ganho de peso. Além disso, própria a infecção pelo HIV desencadeia uma resposta inflamatória no organismo que causa lesão endotelial e eleva o risco cardiovascular. Em função do exposto, o presente estudo teve como objetivo investigar o estado nutricional e risco cardiovascular em PVHA. Para isso foi desenvolvido estudo transversal que avaliou 119 PVHA, de ambos os sexos, em dois serviços de atenção especializada em HIV/aids de Fortaleza-CE. Os participantes atenderam aos seguintes critérios de inclusão: 18 a 59 anos, em uso da TARV por um período ≥6 meses. Excluiram-se pessoas em uso de hipoglicemiantes, estatinas e fibratos; gestantes e condição física que impossibilitasse a realização da avaliação antropométrica. Para recrutamento foi utilizado a técnica de amostragem por conveniência e para coleta de dados realizou-se entrevista de buscando-se as variáveis socioeconômicos e de avaliação antropométrica. Para avaliação antropométrica, utilizou-se o Índice de Massa Corpórea (IMC), classificando em: desnutrição<18,5 kg/m2; normal ≥18,5 kg/m2 e <25 kg/m2; sobrepeso ≥25 kg/m2 e <30 kg/m2; obesidade ≥30 kg/m2. A partir da Circunferência da Cintura (CC) em cm, para as mulheres foi considerado risco cardiovascular o valor ≥80 cm e para homens o valor ≥90 cm. O estudo foi aprovado mediante a CAAE: 53297216.8.0000.5054. Das 119 PVHA, 86,5% (n=106) eram do sexo masculino e 13,5% (n=13) do sexo feminino; com maior prevalência (49,5% n=59) da faixa etária de 30 a 49 anos. Na avaliação nutricional 5%(n=6) foram diagnosticados com desnutrição, 53,7% (n=64) com peso normal, 33,6% (n=40) com sobrepeso e 7,7% (n=9) com obesidade. Diante da CC 66,8% (n=76) não apresentaram risco cardiovascular. Estudo que analisou o IMC e a obesidade central de 80 PVHA encontrou-se que 65,7% eutróficos com tempo de diagnóstico médio de 2 anos, assemelhando-se aos achados do presente estudo. Portanto, diante de uma população jovem com pouco tempo de diagnóstico e uso de HAART esperou-se encontrar indivíduos eutróficos sem risco cardiovascular, uma vez que pesquisador relata que doenças cardiovasculares em PVHA estão relacionadas a senilidade, como em qualquer outro indivíduo, sendo potencializada pelo uso contínuo dos antirretrovirais. Nesse contexto, faz-se importante a modificação de fatores que inferem sobre o risco cardiovascular atuando assim na prevenção, com o fortalecimento de hábitos saudáveis, e do estado nutricional, que é capaz de aumentar a imunidade, refletindo na qualidade de vida.

Palavras-chave (máximo 3)

Estado Nutricional. Antropometria. HIV.

Área

HIV/ AIDS

Autores

MARIA THAÍS GONÇALVES BATISTA, FRANCISCO JOSÉ DE ALMEIDA NETO, MARIA ELISA CURADO GOMES, IVANA CRISTINA VIEIRA DE LIMA, MARLI TERESINHA GIMENIZ GALVÃO, GILMARA HOLANDA DA CUNHA