V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COCCIDIOIDOMICOSE NO CEARA: ACHADOS RADIOLOGICOS MAIS PREVALENTES

Resumo estruturado

Introdução: A coccidioidomicose é uma micose sistêmica cujo agente etiológico é o fungo Coccidioides immitis, encontrado mais frequentemente em regiões áridas e semiáridas. Possui maior prevalência entre as populações da zona rural, em homens na faixa etária de 30 a 50 anos e está diretamente relacionada à caça de tatus. Devido a incidência elevada de sintomas respiratórios, a radiografia de tórax é, frequentemente, um dos primeiros exames solicitados para avaliação dos pacientes. A apresentação radiológica do acometimento pulmonar varia desde infiltrados alveolares, com ou sem derrame pleural, até múltiplas cavidades, podendo complicar-se com empiema e fístulas broncopleurais. Os achados radiológicos mais prevalentes são nódulos pulmonares múltiplos de distribuição periférica, associados a consolidação parenquimatosa. Objetivos: Analisar os padrões radiológicos das radiografias de tórax dos pacientes com coccidiodomicose atendidos no hospital São José (HSJ). Metodologia: Estudo transversal, descritivo com abordagem quantitativa. Foram incluídos pacientes internados no HSJ com diagnóstico de coccidiodomicose confirmado microbiologicamente entre janeiro/2007 a dezembro/2017, que fizeram uma radiografia de tórax. A coleta de dados foi realizada por revisão de prontuários, sendo coletadas variáveis epidemiológicas (sexo, idade, ocupação e exposição de risco), clínicas (tempo de doença, sintomatologia) e as principais alterações nos exames radiográficos. Resultados/Discussão: Foram incluídos 29 pacientes sendo 100% do sexo masculino, com idade média de 30 anos. Em 65% dos casos a causa da infecção foi identificada, sendo a caça de tatus e trabalhos em fazenda as mais prevalentes. A mediana do intervalo de tempo entre o início dos sintomas e o primeiro atendimento no HSJ foi de 20 dias, o que representa um intervalo relativamente pequeno. Tosse, dispneia e febre foram as manifestações clínicas mais prevalentes. Em relação às alterações radiográficas, foi verificado que o padrão radiológico mais encontrado foi o intersticial (44,8% dos casos); 3 desses pacientes também tiveram outros achados associados: 1 tinha adenomegalia hilar, 1 tinha derrame pleural e o outro tinha tanto derrame pleural quanto adenomegalia hilar. O padrão nodular, usualmente descrito como o mais comum nesta patologia, foi encontrado em apenas 27,5% dos casos. Além disso, foi verificado que 1 paciente apresentou um caso mais atípico, o qual tinha apenas derrame pleural na radiografia de tórax. Conclusão: a apresentação radiológica dos pacientes acompanhados do HSJ foi diferente da forma nodular, geralmente descrita na doença. Isso sugere que os dados radiológicos devem sempre ser considerados em associação com a epidemiologia na avaliação desses pacientes para que não haja retardo no diagnóstico desses casos.

Palavras-chave (máximo 3)

coccidiodomicose, Serviço Hospitalar de Admissão de Pacientes, radiografia

Área

Miscelânea

Autores

Maria Clara Machado Borges, José Leonardo da Silveira Morais, Lara Gurgel Fernandes Távora, Mariana Pitombeira Libório