V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O ENSINO PRATICO DO CONTROLE DE ARBOVIROSES MINISTRADO PELOS AGENTES DE COMBATE AS ENDEMIAS AOS ALUNOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SAÚDE.

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: Os Arbovírus estão causando muita preocupação na saúde pública mundial. No Brasil, atualmente, as arboviroses que apresentam maior circulação são: Dengue, Chikungunya e Zika. A perplexidade com relação à disseminação do Zika e do Chikungunya e seu impacto no país foram suficientes para estabelecer um estado de emergência pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde, quase quatro anos após a entrada do vírus no Brasil. Essa condição implicou uma intensa mobilização de recursos e articulações entre estados e municípios para combater a circulação viral, que assumiu enormes proporções. OBJETIVO: Descrever como os municípios de diferentes Regiões de Saúde do Estado do Ceará realizam a execução o trabalho de controle das arboviroses no setor de endemias das secretarias municipais de saúde. METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência demandado a partir de uma disciplina de Parasitologia do Curso de Graduação em Enfermagem pelos alunos do Centro Universitário Inta (UNINTA) do município de Sobral-Ce. Os acadêmicos do terceiro período do curso realizaram visitas nas sedes das Regiões de Saúde de Camocim, Sobral e Acaraú nos meses de março a junho de 2017, acompanhando os trabalhos dos Agentes de Combate (ACE) às endemias para verificar o processo de trabalho desses profissionais no controle das arboviroses desses municípios. A partir dessas inspeções foram confeccionados relatórios que pudessem ser apresentados como requisito para notas de estágio na disciplina. A apresentação desse estudo foi feita de forma descritiva. RESULTADOS/DISCUSSÃO: Pôde-se avaliar inicialmente em cada município os indicadores epidemiológicos de controle às arboviroses, onde foi verificada incidência muito elevada nos anos de 2016 e 2017 nesses municípios, antes da execução das visitas. Quando foi acompanhado o trabalho dos ACE pelos acadêmicos, identificou-se que os trabalhadores das endemias têm dificuldade em executar as atividades de controle do vetor por falta de conscientização da população em relação aos cuidados para evitar os criadouros do mosquito Aedes (locais de armazenamento de água, caixas d’água, tambores, pneus, acúmulo de lixo, sucatas, ferro velho, entulhos de construção). As Leituras de Infestação Predial (LIRAS) eram executadas no prazo determinado pelo setor de Núcleo de Vetores do Estado (NUVET). No entanto, foi identificado que problemas como falta de equipamentos de proteção individual, material de trabalho e transporte inviabilizavam uma efetividade maior do monitoramento dos ACE em determinadas áreas rurais de difícil acesso em alguns municípios visitados. CONCLUSÃO: A importância do trabalho dos ACE passou a ser valorizado pelos estudantes do curso de enfermagem a partir do momento em que eles tiveram contato com a prática do serviço de endemias dos municípios.

Palavras-chave (máximo 3)

Dengue - Zika - Agente de endemias.

Área

Doenças tropicais

Autores

KALINE LOUSADA MUNIZ, KARINE LOUSADA MUNIZ, JEAN CARLOS AMARAL DOS REIS, FRANCISCA GEISA SILVA MARTINIANO, José Reginaldo Pinto, ARTUR KEYLER TEIXEIRA SANTOS