V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RECEPTORES PARA COMPLEMENTO DO TIPO 1 (CR1) E DO TIPO 3 (CR3) COMO POSSIVEIS COADJUVANTES NA INFECÇAO POR LEISHMANIA INFANTUM

Resumo estruturado

A Leishmaniose visceral é uma antropozoonose de alta incidência, morbidade e mortalidade nas Américas, causada pelo protozoário Leishmania infantum de transmissão pela picada do flebotomíneo Lutzomyia longipalpis.. No Brasil possui notificação em 20 Estados, dentre eles o Ceará. Os receptores para complemento do tipo 1 (CR1) e do tipo 3 (CR3) estão presentes nas células do sangue, atuando na adesão celular, na fagocitose de células apoptóticas e nas interações do parasita com o sangue do hospedeiro. OBJETIVO - compreender a dinâmica da expressão dos receptores CR1 e CR3 presentes nas células sanguíneas de pacientes com leishmaniose visceral . METODOLOGIA - Foram analisados 50 amostras de sangue periférico de pacientes (P) com diagnóstico positivo para leishmaniose visceral e 50 amostras de sangue periférico de controles saudáveis (C), no período de abril de 2014 a maio de 2017. Após separação de eritrócitos e leucócitos, foram marcadas em três painéis: eritrócitos - anti-CD35-FITC; linfócitos - anti-CD35-FITC, anti-CD3-APC, anti-CD19-PerCP; neutrófilos e monócitos anti-CD35-FITC, anti-CD11b-APC, anti-CD14-PE. As análises foram feitas por citometria de fluxo, com parâmetros SSC vs FSC, foram obtidas gates para eritrócitos, PMN, monócitos e linfócitos. Análises estatísticas realizadas pelo teste não pareado - "t" Student, p <0,05 como nível de significância. RESULTADOS E DISCUSSÃO - Houve diminuição na expressão do CR1 em eritrócitos ((MIF 2,30 ±1,08 P vs 4,32 ± 2,01 C, p<0,0001), sugerindo que o CR1 participe da patogênese da doença pela acúmulo de ICC, sobrecarga de transporte para as células fagocíticas do fígado e do baço. Redução da expressão de CR3 (MIF 69,44 ± 48,85 P vs 121,7 ± 43,48 C, p = 0,0018) em neutrófilos CD11b+CD35+. Diminuição na frequência de subpopulações de neutrófilos CD11b+CD14+CD35+ (40,96 ± 31,22% P vs 67,25 ± 23,29% C, p = 0,0014, p=0,0014) e aumento da expressão de CR1 (p=0,0145), sugerindo, tropismo parasitário para esta população e entrada silenciosa em macrófagos. Houve aumento na freqüência de monócitos CD14+CD35+ (46,35 ± 20,15% P vs 13,66 ± 14,54% C, p<0,0001) e CD14+CD11b+CD35+ (26,94 ± 22,57% P vs 7,45 ± 8,90% C, p = 0,0017) e aumento na expressão de CR1 e CR3 em ambas as subpopulações destes, sugerindo que monócito é uma célula-alvo para o parasita. Os receptores para complemento podem atuar no aumento da fagocitose e modular a diferenciação de monócitos em macrófagos anti-inflamatórios. A diminuição de linfócitos B CD19+CD35+ positivos para o CR1 (86,43 ± 10,92% P vs 95,84 ± 1,83% C, p = 0,001), sugerindo uma possível ação do receptor do complemento CR1 na regulação fisiológica da ativação policlonal dessas células. CONCLUSÃO - Os resultados sugerem que as diferenças de expressão do CR1 e CR3 podem ser considerados como um importante mecanismo de invasão e persistência do parasita na doença.

Palavras-chave (máximo 3)

Leishmaniose visceral, CR1 e CR3

Área

Doenças tropicais

Autores

CÁSSIO MARINHO CAMPELO, LUIZ CARLOS ALBUQUERQUE PINTO, LÍLIA MARIA CARNEIRO CÂMARA