V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MENINGITE MENINGOCOCICA DE REPETIÇAO EM PACIENTE COM FISTULA LIQUORICA POS TRAUMA CRANIOENCEFALICO: RELATO DE CASO.

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: Meningite denota uma inflamação das membranas protetoras que revestem o sistema nervoso central e do líquido cefalorraquidiano, podendo ter etiologia bacteriana, viral, fúngica ou asséptica. Dentre os agentes bacterianos, os mais comuns são Neisseria meningitidis, Streptococcus pneumonie e Haemophilus influenza. No Brasil, as meningites infecciosas, especialmente a meningocócica, apresentam comportamento endêmico e são doenças de notificação compulsória imediata. No Ceará, segundo dados da secretaria de saúde, no ano de 2016 houveram 275 casos confirmados, sendo a taxa de mortalidade 10,5% e em 2017, houve 185 casos, com taxa de letalidade 9,2%. Algumas condições aumentam a predisposição para essa doença, dentre elas estão diabetes, otite média, esplenectomia, neurocirurgia prévia, traumatismo cranioencefálico e fístula liquórica. RELATO DE CASO: Paciente do sexo masculino, 31 anos, natural e procedente da Taíba-CE, há aproximadamente 8 anos sofreu traumatismo crânioencefálico sem abordagem cirúrgica e evoluiu com fístula liquórica, relatando liquorreia, cursando com 14 episódios repetidos de meningite até a correção da fístula há 3 anos. Em 2018, apresentou novo quadro de meningite, quando foi realizada tomografia computadorizada que mostrou solução de continuidade em seio frontal. Apresentava cefaléia intensa, febre, cervicalgia, vômitos, sonolência e crise convulsiva, sendo internado no dia seguinte e tratado com levofloxacino e oxacilina e encaminhado para hospital de referência em doenças infecciosas em Fortaleza 2 dias depois, onde foi realizada punção lombar que revelou proteinorraquia, líquor com hipercelularidade, com predomínio de neutrófilos. A bacterioscopia mostrou diplococos gram positivos, sugestivo de meningite pneumocócica. Atualmente, paciente encontrasse internado em tratamento e aguardando realizar exame para confirmação de uma segunda fístula. CONCLUSÃO: Portanto, é importante que os profissionais de saúde investiguem causas de predisposição em pacientes com quadro de meningite de repetição, suspeitando por exemplo de fístulas liquóricas, já que estas expõem um meio que fisiologicamente é hermeticamente isolado aos microrganismos.

Palavras-chave (máximo 3)

MENINGITE DE REPETIÇÃO; FÍSTULAS; TCE

Área

Infecções bacterianas e micobacterianas

Autores

Lilian Macambira Pinto, Mateus Lavor Lira, Gerardo Albino Nogueira Filho, Tino Miro Aurélio Marques, Pedro de Lima Menezes, Janaila Maria de Aguiar Silva, Evelyne Santana Girão