V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

QUAIS AS DOENÇAS INFECCIOSAS INTESTINAIS RESPONSAVEIS PELO MAIOR NUMERO DE INTERNAÇOES E GASTOS NO ESTADO DO CEARA?

Resumo estruturado


INTRODUÇÃO: Infecções gastrointestinais são importante causa de internações no Brasil, principalmente entre a população sem acesso a condições básicas de saneamento. Neste contexto, conhecer seus índices mais recentes pode vir a contribuir com uma melhor distribuição de investimentos. OBJETIVO: Descrever a evolução epidemiológica das principais infecções intestinais no estado do Ceará. MÉTODOS: Estudo descritivo transversal, baseado em dados do Sistema de Internações Hospitalares do SUS. RESULTADOS: Na última década, registraram-se 1.235 internações por cólera no CE, com 2008 (803), 2009 (137), 2010 (121), 2011 (32), 2012 (10), 2013 (21), 2014 (12), 2015 (44), 2016 (5), 2017 (26) e até 04/2018 (24). Para as febres tifoide e paratifoide, foram 486 internações, com 2008 (390), 2009 (27), 2010 (28), 2011(19), 2012 (6), 2013 (0), 2014 (5), 2015 (3), 2016 (4), 2017 (4) e 2018 (0). Para a shiguelose, houve 869 internações, sendo 2008 (157), 2009 (88), 2010 (167), 2011 (108), 2012 (71), 2013 (132), 2014 (60), 2015 (42), 2016 (42), 2017 (1) e até 04/2018 (1). Para a amebíase, foram 177 internações, com 2008 (15), 2009 (10), 2010 (11), 2011 (10), 2012 (36), 2013 (23), 2014 (10), 2015 (29), 2016 (13), 2017 (15) e até 04/2018 (5). Para diarreia e gastroenterite de origem infecciosa, os números foram superiores – 80.719 internações, com 2008 (8.942), 2009 (9.596), 2010 (9.723), 2011 (8.382), 2012 (6.658), 2013 (8.506), 2014 (7.404), 2015 (5.868), 2016 (6.359), 2017 (6.605) e até 04/2018 (2.676). Já para outras doenças infecciosas intestinais, o valor foi ainda maior, 125.362, com 2008 (19.206), 2009 (15.991), 2010 (15.386), 2011 (12.555), 2012 (10.825), 2013 (12.896), 2014 (9.981), 2015 (7.816), 2016 (9.785), 2017 (7.577) e até 04/2018 (3.344). Tais doenças infecciosas gastrointestinais acarretaram gasto, no CE, em reais, de 9.426.287,45 (2008), 8.997.490,05 (2009), 8.756.812,26 (2010), 7.402.251,54 (2011), 6.115.788,64 (2012), 7.526.074,09 (2013), 6.135.801,55 (2014), 4.915.343,39 (2015), 5.787.156,75 (2016), 5.212.975,85 (2017) e 2.145.072,90 (até 04/2018). CONCLUSÃO: No CE, a diarreia/gastroenterite e outras infecções intestinais destacaram-se como importantes causas de internações, com um total gasto de R$72.421.054,47 com as patologias consideradas.

Palavras-chave (máximo 3)

doenças infecciosas intestinais; internações de doenças intestinais; estado Ceará

Área

Infecções bacterianas e micobacterianas

Autores

Camylla Santos de Souza, Nicolle Vichnevski Alencar, Yngrid Souza Luz, Sthefania Sad Silva Ferreira Rodrigues Fruet, Amanda Gadelha Mont'Alverne, Fábio Fruet, João David de Souza Neto