V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SUPERPOSIÇAO DE HEPATITE AUTOIMUNE E HEPATITE B CRONICA: RELATO DE CASO

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: A hepatite B é uma infecção viral causada pelo vírus B (HBV) transmitida pela via sexual, parenteral (sangue) ou vertical. A associação de hepatite autoimune com hepatite B é bastante rara, configurando situação de difícil diagnóstico e manejo clínico. A superposição de duas doenças pode acarretar uma evolução mais grave nos doentes crônicos. Como a hepatite autoimune configura-se como uma resposta inadequada do próprio sistema imunológico, o tratamento com imunossupressão pode favorecer a reativação da hepatite B crônica. OBJETIVO: Relatar caso de paciente com Hepatite B crônica ativa associada a Hepatite Autoimune. METODOLOGIA: As informações apresentadas neste trabalho foram adquiridas por meio de revisão do prontuário no Ambulatório de Hepatites do HSJDI. A paciente foi acompanhada no período de setembro de 2016 até outubro de 2018. RESULTADOS: Paciente B.A.L.B., 24 anos, sexo feminino, afrodescendente, procedente de Guiné-Bissau. A paciente é estudante universitária, tendo descoberto a hepatite B em teste rápido, sistematicamente oferecido a todos os estudantes por ocasião da matrícula. A primeira consulta foi dia 16/09/2016. Na anamnese a paciente relatava que o pai também tinha hepatite B, sendo desconhecida a sorologia materna. Referia sintomas dispépticos, mas negava icterícia, colúria ou qualquer sintoma específico de hepatite aguda. Relatava que nunca havia tido relação sexual, uso de drogas ilícitas, cirurgias, transfusões ou tatuagens. Os exames admissionais evidenciaram: HBsAg+, HBeAg - e Anti-HBeAg+. A carga viral da hepatite B foi de 27 UI e 45 UI/ml. As enzimas hepáticas estavam elevadas TGO 268 e 143 e TGP 255 e 323 U/L (08/2016 e 10/2016), bilirrubina total 0,1, INR 1,0, ultrasonografia normal. Iniciou tratamento com Tenofovir 300 mg/dia em 02/2017. Evoluiu com TGO e TGP persistentemente elevadas mesmo após 8 meses de tratamento (TGO 155 e TGP 191). Realizou FAN + 1:80, Antimúsculo liso negativo e Antimitocôndria negativos. A Biópsia hepática exibiu infiltrado inflamatório linfoplasmocitário com eosinófilos, agressão a placa limitante e necrose em saca-bocado compatível com Hepatite autoimune. Iniciou tratamento com Azatioprina 50 mg e Prednisona 30 mg/dia em 03/2018, mantendo o Tenofovir. Após 5 meses de tratamento houve melhora evidente nas taxas de TGO 81 e TGP 97 U/L. A carga viral da hepatite B em 08/2018 foi de 12 UI/ml. CONCLUSÃO: Esse caso ilustra bem a necessidade de investigação de causas associadas de hepatite em pacientes cujo tratamento da hepatite B não normalizarem completamente a função hepática. No presente caso, detectamos a rara associação de hepatite B crônica HBeAg negativo associada a hepatite autoimune, que é retratado como caso incomum na literatura.

Palavras-chave (máximo 3)

Hepatite B; Hepatite autoimune; Superposição

Área

Hepatites Virais

Autores

Lara Veras Franco, Bárbara Ferreira Maciel, Beatriz Hyppolito da Justa, Gabriel Peixoto Maia, Mateus Feitosa Arrais, Elodie Bomfim Hyppolito