V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

APENDICITE GRANULOMATOSA IMUNOMEDIADA POR INFECÇAO BACTERIANA DE PADRAO HISTOPATOLOGICO CROHN-SIMILE

Resumo estruturado

INTRODUÇÃO: As principais causas de apendicite granulomatosa no Ocidente são a infecção por Yersinia e a Doença de Crohn (DC), sendo a tuberculose e as infecções parasitárias, como helmintíases e esquistossomose, mais presentes em países tropicais e subtropicais. Outras etiologias infecciosas incluem Enterobius vernicularis, Actinomyces, Candida e vírus do sarampo. Outras causas incomuns podem incluir reação a corpo estranho e sarcoidose. Contudo, até 30% das doenças granulomatosas ficam sem etiologia estabelecida. E, nesse contexto, é importante considerar que a presença de colônias de bactérias na superfície do referido órgão também leva à formação de granulomas como resposta imunológica. OBJETIVO: Relatar um caso de doença granulomatosa do apêndice associado a colônia de bactérias. RELATO DE CASO: Homem de 21 anos com dor abdominal em flanco direito e diagnóstico clínico de apendicite aguda foi submetido à apendicectomia. À microscopia, nota-se apendicite aguda granulomatosa com erosão de mucosa e com granulomas em lâmina própria e em submucosa, além de colonização bacteriana na mucosa. A pesquisa por bacilos e por fungos revelou-se negativa. DISCUSSÃO: A apendicite granulomatosa idiopática é um fenômeno raro e um diagnóstico por exclusão. A exclusão de agentes etiológicos em doenças granulomatosas pode ser hercúleo e frustrante, como em granulomas pulmonares, com até um terço sem etiologia estabelecida após técnicas avançadas de biologia molecular. No apêndice, apesar de menos comum, o cenário se repete. Nesse órgão, é imprescindível exclusão das causas mais comuns de granulomas no Brasil, como tuberculose e infecções parasitárias. Uma vez excluídos os agentes etiológicos habituais, DC e granulomatose por Yersinia são diagnósticos diferenciais de difícil exclusão, especialmente pela possibilidade de existência concomitante e da resposta granulomatosa não ser exclusiva da Yersinia. Ambos, DC e colonização bacteriana por Yersinia, têm sido relatados em casos de apendicite granulomatosa idiopática: DC em 5 a 10% em séries, e colonização por Yersinia em até 25% em série de 40 casos. A recomendação é seguimento clínico e endoscópico a fim de completa exclusão da possibilidade de DC. Conclui-se que, durante a abordagem histopatológica de apendicite granulomatosa sem outras etiologias definitivas, DC e a presença de colônia bacterianas deverão ser avaliadas e contrapostas aos diagnósticos diferenciais, assim como o seguimento clínico a fim da exclusão evolutiva de DC.

Palavras-chave (máximo 3)

Apendicite; Granulomatose; Yersinia.

Área

Infecções bacterianas e micobacterianas

Autores

Amanda de Paula Pessôa Paula Botelho, Mariana Melo Gontijo, Paula Vitória Pereira Motoyama, Guilherme Bitu dos Santos Ponte, Eny Ribeiro de Lemos, Giuliano Ferreira Morgantetti, Guilherme Alencar de Medeiros, Marcelo Balancin