V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PROFILAXIA E CONTROLE DO TETANO ACIDENTAL NO AMBITO HOSPITALAR NO ANO DE 2017

Resumo estruturado

Introdução: As causas externas configuram um sério problema de saúde pública, pois atingem uma população jovem onde muitas destas ocorrências são acompanhadas de inúmeras complicações secundárias à ocorrência inicial, dentre elas destacando-se a ocorrência do tétano acidental naqueles pacientes que apresentam esquema vacinal incompleto ou inexistente. O hospital no qual foi desenvolvido este estudo é referencia estadual no atendimento as vitimas de acidentes e violências, de modo que, seus clientes, caso não estejam com esquema vacinal contra o tétano atualizado, apresentam alto risco para o tétano acidental, deste modo a presente instituição tem como rotina além da imunização contra o tétano acidental a disponibilização de Imunoglobulina antitetânica (IGHAT). Objetivo: Investigar o perfil dos clientes que necessitaram da utilização de IGHAT para profilaxia do tétano acidental em um hospital de emergência. Material e métodos: Estudo exploratório com abordagem quantitativa, realizado no Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NUHEPI) de um hospital público, referência no atendimento às vítimas de acidentes e violências, situado na cidade de Fortaleza - CE. A amostra foi comporta por 248 clientes admitidos na instituição no ano de 2017 que tiveram indicação de IGHAT. Os dados foram apresentados sob a forma de tabelas e analisados de acordo com a literatura relacionada à temática. Resultados: Ao analisarmos este grupo encontramos que a maioria pertence ao sexo masculino (218 – 87,9%), na faixa etária entre 20 a 29 anos (88 – 35,5%), raça parda (236 - 95,2%), residente em cidades do interior do estado do Ceará (145 - 58,5%), teve como motivo de internação ocorrências relacionadas a acidentes de motocicleta (101 – 40,7%) seguidas por ferimento por arma de fogo (79 – 31,9%). A ocorrência se deu nos dias de domingo (56 - 22,6%) e sábado (44 - 17,7%) respectivamente, sendo admitidos no hospital no horário entre 18 às 24h (86 - 34,7%). Quanto a dose de vacina dT aplicada, tivemos a dose de reforço (194 – 78,2%) na maioria dos casos. Em relação ao tempo de internação a maioria destes permaneceu internada por mais de 30 dias (90 - 36,3%), saindo por alta hospitalar (231 - 93,1%). Discussão: Os resultados reforçam a importância de maior envolvimento dos profissionais de saúde nas políticas Públicas relacionadas aos programas de imunização, de modo a estimular nossa população no processo de prevenção ao tétano acidental. Destacamos a necessidade de maior estimulação a população masculina, visto que não há campanhas de imunização contra o tétano acidental direcionadas a este grupo, o qual segundo estatísticas é o mais envolvido nas ocorrências por causas externas.

Palavras-chave (máximo 3)

tétano, ocorrência, profilaxia

Área

Miscelânea

Autores

THAINÁ POMPEU ALMEIDA, Guilherme Pinho Mororó, Louise Martins Nunes, Lucas Arruda Queiroz, Matheus Cardoso Aragão, Luciene Miranda Andrade, Daniel Farias Aquino, Irandi Souza Marques