V Congresso Cearense de Infectologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO DAS ALTERAÇOES METABOLICAS COM ALTA DOSE DARUNAVIR 1200/ RITONAVIR 100MG UMA VEZ AO DIA EM PACIENTES HIV+

Resumo estruturado

Introdução: O darunavir é um inibidor de protease, utilizado no tratamento para infecção do HIV. É administrado juntamente com o ritonavir, em baixas doses, a fim de melhorar sua biodisponibilidade. Os inibidores de protease exibem inibição viral dependente da concentração. Altas doses diárias de darunavir estimulado com ritonavir (DRV / r - [DRV 600mg (2cps) + RTV 100mg (1cp)] 1x/dia ) podem atingir a supressão viral em vez da dose duas vezes ao dia. O darunavir é metabolizado principalmente pela CYP3A. O ritonavir inibe a CYP3A, aumentando, dessa forma, as concentrações plasmáticas de darunavir de forma considerável. Dessa maneira, há a necessidade de se avaliar as alterações metabólicas, tais como toxicidade hepática e renal, em relação ao ajuste de dose, devido à escassez de dados na literatura sobre o tema. Objetivo: Avaliar a toxicidade hepática e renal com o uso do DRV1200/r100mg. Metodologia: Estudo retrospectivo e observacional de pacientes em uso de DRV1200/r100mg 1x/dia, acompanhados no Hospital São José de Doenças Infecciosas, em Fortaleza/CE. Os dados foram coletados por meio do SISCEL (Sistema de Controle de Exames Laboratoriais) e do Softlab, durante o período entre Março de 2018 e Setembro de 2018. Foram incluídos todos os pacientes em uso de DRV1200/r100mg como parte da terapia antirretroviral, sendo analisados os valores de enzimas hepáticas (ALT e AST) e função renal (ureia e creatinina) antes do início do tratamento com o esquema proposto, e os últimos exames realizados após a troca. Adicionalmente, foram avaliados os valores de Carga Viral (CV) antes e após o uso de DRV1200/r100mg 1x/dia, sendo considerada a CV > 40 cópias como desfecho primário. Resultados/Discussão: Um total de 327 pacientes foram acompanhados. Destes, 50,2% (N=164) possuíam exames de função renal e enzimas hepáticas antes e após o período da troca. Foi avaliada toxicidade metabólica em 49,8% dos pacientes em uso do esquema DRV1200/r100mg que apresentavam exames pré e pós a troca. Ao avaliar a toxicidade hepática, a AST previamente à introdução do esquema proposto estava alterada em 12,9% (N=20) e após em 16,1% (N=24) (p=0,5147). Quanto a ALT, no pré estava alterada em 17,5% (N=27) e no pós em 20,3% (N=30) (p=0,5597). Na análise da toxicidade renal, a ureia anteriormente à data da troca estava alterada em 6,8% (N=9) e no pós em 7,3% (N=10) (p= 1). Em relação à creatinina, antes estava alterada em 7,7% (N=12) e após em 6,0% (N=9) (p=0,6531). Além disso, observou-se que antes da introdução do esquema, 67,7% (N=174) apresentavam carga viral indetectável e, após o início do ajuste de dose, esta porcentagem foi de 74,9% (N=134). Dessa forma, o fato da análise das alterações metabólicas revelar valores estatisticamente não significativos, mostra que não houve toxicidade com a dosagem uma vez ao dia de DRV1200/r100mg e a eficiência da terapia com ajuste de dose.

Palavras-chave (máximo 3)

PALAVRAS CHAVE: DARUNAVIR-RITONAVIR, ALTERAÇÕES METABÓLICAS, HIV

Área

HIV/ AIDS

Autores

KARINA DE VASCONCELOS NOROES, PRISCYLA FERREIRA ARARIPE, JULIANA SAMPAIO SARAIVA OLIVEIRA, JOSE EDVAR DI CASTRO JUNIOR, YANDRA MIRELLE NOGUEIRA ALVES, LARISSA CRISTINA PAULA AMORIM, MELISSA SOARES MEDEIROS, DENISE GIRÃO LIMAVERDE LIMA