IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Comparação entre tratamento cirúrgico e conservador no retorno ao esporte de atletas com Pubalgia: Revisão sistemática

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A Pubalgia é uma lesão comum em atletas de alto rendimento, principalmente em esportes como futebol, hóquei, rugby, corrida e tênis. Geralmente homens são mais acometidos e a apresentação clínica dar-se-á com dores na região inguinal, redução de força e do desempenho atlético. Entretanto sua avaliação é complexa e muitas vezes imprecisa, e com esta complexidade de diagnóstico, o tratamento torna-se também multifatorial. Visando isto, existem duas opções para tal: tratamento cirúrgico ou conservador. Ambas as formas possuem conflitos relacionados aos seus desfechos, como por exemplo o tempo de retorno ao esporte. Objetivo: O objetivo desta revisão foi verificar o tempo necessário para retornar ao esporte, após tratamento conservador ou cirúrgico em indivíduos com Pubalgia. Método: Utilizou-se a declaração PRISMA como forma de condução para esta revisão sistemática. A busca foi realizada nas seguintes bases de dados: Pubmed, SportDiscus, Science Direct e Web of Science. Resultados: Para análise final dos estudos, foram selecionados 14 a partir de 2582, onde 10 eram relacionados ao tratamento cirúrgico e 4 ao tratamento conservador. A maior parte dos estudos eram retrospectivos, ensaios clínicos e apenas 2 prospectivos. Um total de 849 sujeitos receberam intervenção nos estudos. Os resultados apresentados nos estudos mostraram que atletas submetidos ao tratamento cirúrgico retornaram antes ao esporte, iniciando a partir de duas semanas. Porém houve uma variação muito alta neste tempo de retorno, podendo chegar a 36 semanas. De forma diferente, o tratamento conservador variou em 12 semanas, com o retorno acontecendo entre cinco e 17 semanas. Ao analisar os dados do tratamento cirúrgico foram vistos que os principais métodos cirúrgicos utilizados foram a tenotomia de adutores, seguida por reparação de hérnia, laparoscopia, endoscopia exploratória, liberação de adutores e extensão do reto abdominal com um tempo de duração dos sintomas e realização da cirurgia variou de três semana a 72 meses. O tratamento conservador possui como método principal a cinesioterapia, seguida por outras técnicas específicas como contrai-relaxa. entretanto, outros recursos são utilizados, dentre estes, a laserterapia e parafina. Utilizou-se o checklist Downs and Black para avaliar a qualidade dos estudos. A maioria deles, nove, foi classificado como “Poor”, dois como “Fair”, quatro como “Good” e nenhum como “Excellent”. Conclusão: Indivíduos com Pubalgia submetidos ao tratamento cirúrgico podem retornar antes à atividade esportiva. Porém os estudos se diferem em muitos itens, fato este que traz dúvidas quanto à efetividade dos resultados, especialmente porque os mesmos foram mal classificados pela escala Downs and Black.

Palavras-chave (máximo 3)

Pubalgia. Groin pain. Return to sport

Área

Retorno ao Esporte

Autores

Thiago Teixeira Serafim, Eliton Stanley Oliveira, Rodrigo Okubo